País

Lisboa: santos não saem à rua

Por Mário Manchete 13 de Junho 2007 Comentar (1) Enviar -->

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) impediu ontem a realização de todos os festejos de santos populares em Lisboa.

A operação “Marcha Interrompida”, planeada há largos dias, resultou no encerramento de inúmeras barraquinhas de cerveja e na detenção de várias pessoas, incluindo os organistas e teclistas que animavam os arraiais. “Mau gosto musical e usurpação de acordes” estiveram por detrás destas detenções.

A típica descida das marchas pela Avenida da Liberdade teve também de ser cancelada, depois de todos os trajes dos marchantes terem sido apreendidos, por se acreditar serem artigos contrafeitos. João Baião, padrinho da marcha de Alfama, terá ainda tentado correr nú pela Avenida, acabando por ser detido minutos depois por técnicos da ASAE, “por motivos como falta de asseio e higiene”.

Os efeitos desta operação fizeram-se sentir um pouco por toda a cidade, com destaque para os bairros típicos. Júnior, imigrante brasileiro a residir há sete meses no bairro da Bica, foi detido por comercializar maminha no pão e chope – “comes e bebes em pouca conformidade com as festividades”. Na Madragoa, vários estabelecimentos viram as suas portas fechadas devido “à utilização incorrecta da expressão travessa de sardinhas – quando muito, pires de sardinhas“, adiantou um técnico da ASAE.

Foram ainda apreendidas centenas de manjericos, depois de detectados vários erros ortográficos nas quadras que tradicionalmente os acompanham.

Estes acontecimentos vieram inquietar a população do norte do país, que teme o pior para a noite de S. João.

Comentários

Um comentário a “Lisboa: santos não saem à rua”

  1. E caso para dizer..Santos de casa nao fazem milagres.Tal evento so pode ser equiparado as touradas de Barrancos ou as tentativas de Pedro Santana Lopes em se afirmar como Politico.Vale neste contexto a vontade do povo que após ver este seu evento cancelado virar-se para os programas de conteudo intelectual da rtp como e o caso do dança comigo e açoitar os filhos quando estes sorvem o ranho mais alto que o som da televisão.

    Por Dado F | 12 de Setembro 2007, 2:22

Comentar