País

Pais manifestam-se pelos direitos dos filhos

Por Carla Cacha 4 de Outubro 2007 Comentar (2) Enviar -->

Tópicos  , ,

A Associação De Pais Em Luta Pelo Normal Desenvolvimento Dos Seus Filhos E Por Normal Referimo-nos A Um Desenvolvimento Semelhante Ao Que Os Pais Que Pertencem A Esta Associação Tiveram Durante A Infância Barra Adolescência (ADPELPNDDSFEPNRAUDSAQOPQPAEATDAIBA) marcou uma manifestação para o próximo domingo na Assembleia da República, um café-bar situado na baixa de Viseu.

Segundo António Gomes da Costa, pai e avô, funcões que acumula com a Presidência da ADPELPNDDSFEPNRAUDSAQOPQPAEATDAIBA, o objectivo é contrariar as políticas demasiado excessivas do governo e da União Europeia na protecção das crianças. “Hoje em dia é praticamente impossível uma criança partir a cabeça ou um braço enquanto brinca no parque infantil”, afirma Gomes da Costa. “Proibiram os baloiços e os carroseis e, para piorar ainda mais as coisas, o chão é de borracha roxa e fofa. É inacreditável”. Para Maria do Céu Oliveira, vogal da ADPELPNDDSFEPNRAUDSAQOPQPAEATDAIBA, os pais devem tomar medidas drásticas e revela-nos a sua própria experiência: “Ainda ontem rasteirei o meu filho quando ele se dirigia para a cozinha. Ele bateu com a cabeça nos azulejos e teve de ser imediatamente levado para o hospital. Resultado? Cabeça partida e um traumatismo craniano. Tive de passar a noite com ele no hospital. Nunca me senti tão próximo do meu filho como agora”. Para Maria do Céu, se houvesse possibilidade de algo como isto acontecer sem a sua intervenção não o teria feito mas, diz-nos, desesperada, “nunca foi tão difícil magoar uma criança como hoje”.

Os rótulos das embalagens de detergente e medicamentos, a Internet e os jogos de computador são também alvos de críticas da Associação: “Já nem me dou ao trabalho colocar a lixívia fora do alcance dos meus filhos”, afirma Gomes da Costa, “porque eles sabem, como se tivessem nascido ensinados, que a lixívia não deve ser ingerida e, pior, sabe mal”. Para quando uma lixívia que, em cada pacotinho, contenha uma festa de oito frutos ou o bom sabor da selva, é uma das perguntas que Gomes da Costa deixa no ar.

A Internet é criticada por conter demasiada informação: “não deixa nada para as crianças descobrirem por si”, revela Gomes da Costa. “É importante para o crescimento dos miúdos que estes façam perguntas e experimentem as coisas em primeira mão. Não basta ler que brincar com facas de cozinha pode ser perigoso, têm de experimentar fazê-lo para descobrirem as consequências da brincadeira”. Quanto aos jogos de computador, Gomes da Costa diz ter ficado desiludido com a reduzida interacção que estes permitem uma vez que “nada acontece, de facto, ao jogador”. Segundo Gomes da Costa, nos E.U.A. os jogos parecem ter servido de inspiração a jovens adolescentes que levaram armas para a escola e dispararam sobre os colegas mas “foram casos esporádicos”. É preciso fazer mais e melhor”.

A manifestação está marcada para as 18 horas e são esperados cerca de três casais e respectivos filhos.

Comentários

2 comentários a “Pais manifestam-se pelos direitos dos filhos”

  1. As crianças sao a melhor coisa do mundo!Ja o dizia o poeta e o Carlos SIlvino.Deixem as Crianças crescer…Mas nao muito, segundo o deputado Paulo Pedroso.E preciso aplicar-lhes uma pedagogia pedologia que os encaminhe no caminho da verdade e dos ensinamentos de Deus.Sao estas as palavras do internacional Sacerdote, Padre Frederico.As crianças precisam de aprender pouco a pouco com os mais velhos, nao e tipo picadora Moulinex 1,2,3 e já está!Reiterou Carlos Cruz. E preciso haver crianças senao nos nao existimos!Repto lançado pelo Doutor Ferreira Diniz.Aqui ficam declaraçoes de respeitaveis e salutares cidadãos da sociedade Portuguesa.

    Por Eduardo "Dado" Franco | 24 de Novembro 2007, 3:38
  2. Porque parou?
    Parabéns.

    Por E. Alves | 24 de Julho 2008, 21:04

Comentar